вторник, 4 октября 2016 г.

Ecléctica do putinismo na religião

Já escrevemos antes sobre a tendência eclética do Putinismo: "romanovisação" do período soviético. Os marginais saem para a manifestação do dia da Vitória na 2GM com os ícones de Nikolai II (como fez a heroína da Primaveira Russa na Crimeia, Natalia Poklonskaya, em 2016).Parecem loucos, e afirmam que Stalin poderia ser um filho do general Przhevalski, e que Stalin era um agente da Polícia Segreda dos czares, infiltrado no movimento revolucionário para restaurar o império depois da revolução (a ideia popular entre os euroasianos), etc. O escritor Alexandr Projánov ofereceu a ideologia do "V Império" para explicar a sucessão temporal da Rússia atual, herdeira das formas anteriores do estranho imperialismo russo: URSS, Império de São Petersburgo, Czarato de Moscou, Horda de Ouro... 

O patriarca da Igreja Ortodoxa Russa Kiril, em 2013, fez um intento de cristianizar o período soviético: ele pediu aos jovens para tomarem de exemplo os mártires da Grande Guerra Zoia Kosmodemianskay e Alexandr Matrosov - "aqueles quem sem pensar sacrificaram suas vidas para a Pátria".

É curioso que nas regiões budistas russas também haja tendências de integrar a memória soviética no contexto budista. 

Ao lado do povoado Juljuta (República da Kalmykia, sul da Rússia) durante a Batalha de Stalingrado, a paramédica Natalia Kachuévskaia quis salvar os soldados feridos, protegendo dos nazistas a entrada de refugio, até o último momento. Quando ela já não tinha balas, ativou uma granada e assim se suicidou, assassinando também a vários nazistas.

Hoje "resulta" que essa façanha aconteceu no lugar, onde antes dos anos 1930 se encontrava um jurul (templo budista) e uma estupa, ergida em cima do túmulo de um famoso Andzha-lama da Kalmykia. O refúgio dos feridos foi feito pelos budistas locais para seu culto em honra de Andzha-lama! Porque o templo e estupa originais tinham sido destruídos durante o radicalismo da guerra civil russa. Os habitantes do local hoje creem que foi Andzha-lama que ajudou os soldados russos feridos a evitar a morte. Como Natasha Kashuévskaia fez uma façanha de bodhisattva, agora ela recebeu uma boa reencarnação!

Além disso o monumento de Lenin em Elista (capital da Kalmykia) foi girado em 180 graus e agora o líder da Revolução Rússa esta olhando para a estatua de Budda Shakiamuni, que foi instalada perto. Obviamente os kalmykies estão "budisando" o período soviético.

P.S.

Os filósofos do Islã russo também oferecem sua revisão de nossa história: